Você já criou algo de que se orgulha?

Fim do ano chegando e com ele a frase que mais nos assombra (até mais que “e os namoradinhos?”): o que você fez nesse ano? Quem gosta de criar, profissionalmente e/ou por hobby, geralmente começa a enumerar as criações que tem na gaveta; e isso, é claro, dá margem pra muito surto. É fácil perderContinuar lendo “Você já criou algo de que se orgulha?”

É possível escrever um livro em um mês?

Escrever um livro inteiro em 30 dias parece loucura, mas é o que propõe o NaNoWriMo (apelido carinhoso para National Novel Writing Month), um projeto que envolve escritores do mundo todo com a simples missão de escrever 50 mil palavras apenas durante os dias de novembro. A ideia certamente parece loucura num primeiro momento, masContinuar lendo “É possível escrever um livro em um mês?”

Emojis vs. palavras e frases ridículas de camiseta

Vi um cara com uma camiseta escrito “um sorriso vale mais que mil emojis”. Isso é ridículo por dois motivos: 1) não existe uma situação em que eu poderia escolher entre essas duas coisas. Se alguém me escreve uma coisa legal, eu não vou levantar e ir até a casa da pessoa pra sorrir naContinuar lendo “Emojis vs. palavras e frases ridículas de camiseta”

Como você está se ajudando como escritor (isso não é uma pergunta)

Pra começar essa semana, vou te ajudar a se sentir melhor mesmo estando empacado há tempos na sua escrita (ou criações em geral). É normal a gente ter bloqueios criativos, e mais normal ainda se sentir mal por não estar fazendo algo a respeito. Mas se a gente parar pra pensar que escrever não seContinuar lendo “Como você está se ajudando como escritor (isso não é uma pergunta)”

Os pulos do cinema nacional (ou: crítica de O Filme da Minha Vida)

Em 2013, Quando vi O Vendedor de Passados (título que tive que procurar agora, pois o pobre do filme nem essa memória me deixou), escrevi uma crítica onde eu falava, basicamente, que o filme me deu esperanças. Não no sentido poético, tipo a esperança de uma vida melhor ou de alcançar meus sonhos: esperança deContinuar lendo “Os pulos do cinema nacional (ou: crítica de O Filme da Minha Vida)”

Inspiração e o mito da musa.

Eu ando, por falta de melhores termos técnicos, bem lerda pra escrever. Já faz mais de dois anos que eu terminei de escrever o primeiro livro, e o segundo tá… indo. E normal né, isso acontece com todo mundo. O problema é que eu parecia estar parada esperando aquele momento mágico de inspiração, mesmo nãoContinuar lendo “Inspiração e o mito da musa.”

Escritores: por que nossas histórias não se passam aqui?

Não me lembro exatamente como surgiu a ideia para a minha primeira história original, a primeira que pensei em transformar em livro. Só sei que, logo menos, eu estava escolhendo nomes basiquinhos pros personagens, e decidindo onde ela iria se passar. O primeiro capítulo já dizia algo como “observei o céu cinzento de Boston”. Cara,Continuar lendo “Escritores: por que nossas histórias não se passam aqui?”