O que é planejamento de história e para quê serve?

Como planejar uma história? Por que fazer isso? Essa é uma área que eu gosto muito e tenho facilidade em desenvolver (triste mesmo é a hora de sentar para escrever o livro), então vim compartilhar algumas dicas com vocês.

Antes de mais nada: é necessário fazer planejamento de um livro?

As pessoas não percebem a importância do planejamento em grande parte por causa do estereótipo de que a inspiração vai simplesmente vir. Isso não existe! A ideia não vem do nada, não vai surgir se você ficar deitado esperando a musa da inspiração vir e te dar uma ideia perfeita. Isso simplesmente não existe.

Você precisa planejar uma história porque a estrutura dela não vai vir toda pronta para você. É claro que é possível você ter uma ideia que surge “do nada” (que é inclusive como eu digo que surgiu a ideia do meu livro), apesar de que nada surge do nada. No caso do meu livro, eu sei que foram outros livros que eu li antes, músicas, séries, coisas que acabaram ficando no meu subconsciente e de repente se tornaram uma ideia.

Mas pra fazer o livro inteiro, uma história com começo, meio e fim, uma história com estrutura, sentido, um enredo que se desenvolva, personagens que se desenvolvam e que conquiste o público — o que é, afinal, o nosso objetivo — você precisa parar e pensar um pouquinho pelo menos sobre isso antes de começar a escrever.

Quando a gente vê uma obra completa — no caso da nossa conversa, um livro — a gente lê umas coisas e pensa “Nossa, como que o autor pensou nisso? Ele deve ser um gênio! Deve ter uma mente muito brilhante pra ter acordado com tudo isso aqui na cabeça”. Gente, não existe acordar com um livro inteiro na cabeça; isso que eu tô falando de um livro pequeno. O máximo que eu já acordei na cabeça foi a sinopse ou uma cena que eu sonhei. Todo o resto foi muito trabalho, mão na massa, tentativa e erro. Foi escrever um parágrafo, ver que estava horrível, apagar, escrever outra coisa. Às vezes você escreve o livro inteiro, depois volta e vê “Nossa, aqui tá faltando uma coisa que vai levar o personagem desse ponto pra esse ponto, ele foi muito rapidamente, muito de repente. Então às vezes você tem uma ideia, ou só uma sinopse ou aquela grande luta final. Mas todos os detalhes que vão no meio são tão importantes quanto, porque são as coisas que vão levar àquela cena final. Por isso o planejamento é tão importante.

Esse conteúdo também está disponível em vídeo, que você pode ver abaixo. Em seguida, continua o texto 🙂

O que é o planejamento da história de fato?

Eu gosto de definir o planejamento da história como a planta de uma casa. Você pode começar a construir uma casa sem uma planta? Pode, mas tem muito mais chances de dar erros e imprevistos. Digamos que você comece a construir um quarto do nada. Aí você vai construir o próximo e vê que não vai caber, ficou bem menor do que você imaginava. Então a planta é sua chance de tentar e errar. Você pega o tamanho do terreno que tem disponível e vai desenhando, vai vendo os tamanhos, alterando coisas. Você tenta fazer um plano aberto mas daí descobre que com aquela estrutura da casa não tem como, você vai ter que colocar uma parede ali no meio.

O planejamento da história é isso: você ter esse esqueleto, essa planta pra não começar completamente no escuro. Então você vai desenhar mais ou menos o que vai acontecer na história, qual vai ser a ordem dos acontecimentos, do começo até o final, pra depois você de fato escrever as cenas e os capítulos que vão formar esse livro. Agora, sobre o tanto de planejamento que você precisa, ou quando parar o planejamento e realmente começar a escrever, isso é uma coisa meio subjetiva.

Tem um conceito que eu gosto bastante do George R. R. Martin que é o de arquiteto e jardineiro. Segundo ele, esses são os dois tipos de escritor que existem. Eu já falei sobre isso num vídeo do meu canal, mas resumindo, o arquiteto é aquela pessoa que, como falamos naquela metáfora da planta da casa, vai planejar tudo nos mínimos detalhes antes de começar a escrever. Já o jardineiro começa a escrever do nada, porque como um jardineiro, ele vai simplesmente plantar uma semente ali e ver o que vai crescer. E a partir dessa planta crescida vai trabalhar em cima disso.

Em termos práticos: como realmente planejar o seu livro?

Existem muitas maneiras diferentes de estruturas arcos de histórias. Inclusive, deixo como indicação o livro “Santa Adrenalina“, da Claudia Lemes. Esse livro é na verdade mais focado em como escrever thrillers, mas dá uma passada por várias estruturas de enredo que podem ajudar bastante na hora de planejar e estruturar sua história. Eu particularmente gosto de dividir minha história na estrutura de três atos, que é uma das maneiras mais simples e gerais de dividir as histórias, e a que mais funciona em diferentes gêneros.

No meu ebook Como planejar seu livro, eu falo detalhadamente sobre cada um desses atos, o que você deve fazer com cada um deles, como você consegue colocar suas ideias que estão soltas, que parecem desconexas dentro dessa estrutura pra ter uma linha, uma sequência lógica, e aí começar a escrever. Eu também tenho um checklist dos três atos, que é uma estrutura para você se certificar que a sua histórias tem todos os elementos que vão fazer ela funcionar. Aproveita o R$ 2,99 que você economizou nos #lanches pela cidade e vai aprender essas técnicas!

É claro que, como em qualquer outra arte, na literatura as regras existem para ser quebradas. Mas, para quebrar regras, você tem que primeiro conhecê-las. É por isso que é importante pelo menos tentar encaixar suas ideias nessa estrutura, nesse checklist, e se elas não se encaixarem, você se pergunta: essa quebra que eu tô fazendo da regra, do que eu já sei que funciona, vai fazer meu livro melhor? Vai fazer ele diferente de um jeito bom, de um jeito inovador, de um jeito que o leitor vai querer ler e saber o que acontece em seguida? Senão, vale a pena voltar pra a estrutura clássica e dar uma trabalhada nos elementos da sua história que podem fazer com que ela funcione de uma maneira mais coesa.

COMO PLANEJAR SEU LIVRO

ALÉXIA HETKA

R$ 2,99 NA AMAZON

Qual termo do mercado literário você quer saber mais sobre?

Conversando com algumas amigas escritoras, nós chegamos em várias palavras do mercado literário que nem todo mundo conhece. Às vezes as pessoas estão escrevendo faz tempo, mas tem um termo simples que elas nunca ouviram. Então eu quero fazer uma série de vídeos explicando esses termos para criar um glossário do mercado literário. Eu vou começar com temas como pitch, resumo, argumento e resenha. E eu quero saber se tem algum termo, alguma coisa que vocês já leram, seja em editais de concurso, redes sociais de outros autores, que você não sabe o que significa, não tem certeza como aplicar, que vocês já viram definições diferentes. Eu quero pelo menos começar esse debate e informar todo mundo pra gente evoluir juntos nessa jornada. Deixe nos comentários qual palavra, qual termo você quer saber mais sobre e não sabe o que significa, ou então algum conceito que você conhece mas não sabe se tem um nome pra isso. Marque seus amigos escritores, manda pra todo mundo e vamos lá!

1 Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s